Our Recent Posts

Tags

Quando a nutrição tem a ver com arquitetura e meio ambiente


Esses dias uma amiga arquiteta recebeu pacotinhos com snacks saudáveis para publicidade. E na hora de apresentá-los nos stories do Instagram ela começou: “sei que o chips de batata doce não tem nada a ver com arquitetura, mas vou mostrar esses lanchinhos orgânicos e saudáveis (...)” contudo, os novos selos de construção sustentável estão trazendo a nutrição como um item de sustentabilidade imprescindível. Vem comigo que eu explico!


Antes, preciso dizer que muitos empreendimentos se dizem sustentáveis mas não provam que são. Hoje existem certificadoras sérias que emitem selos categorizando a edificação e atestando que aquela obra possui recursos e processos que COMPROVADAMENTE tem menor impacto no meio ambiente comparado aos métodos tradicionais. Isso é comprovado através de laudos e testes laboratoriais, preenchimento de checklists e levantamentos fotográficos e etcs.. Alguns exemplos desses selos para a construção sustentável são: o LEED emitido pelo Green Building Council (GBC), o britânico BREEAM, o selo de origem francesa AQUA emitido no Brasil pela fundação Vanzoline e o PBE Edifica que é uma junção do Programa Brasileiro de Etiquetagem com o Procel, emitido pelo Inmetro.


Agora, com o foco no bem-estar das pessoas e nas questões ambientais surge um nova geração de selos de sustentabilidade que trazem questões que contemplam não somente o uso de energia fotovoltaica e o reuso de água como os selos citados acima, mas também questões como biofilia (proximidade com a natureza) e nutrição e é aí que dispor de espaço para hortas na edificação ou a proximidades com produtores de comida orgânica, passam a pontuar para que a construção seja qualificada como sustentável. Comer bem é um dos pilares da saúde humana e prover acesso a fontes de alimentos é um caminho natural que fortalece todo um sistema mais respeitoso com o meio ambiente.


Desses novos selos, os que estão mais em destaque são o americano Well, também emitido pela GBC que possui a categoria de Nutrição e o Living Building Challange que chega a dizer que seu processo de projeto é criar edificações regenarativas que "assim como um flor, dão mais do que tiram".e em ambos os casos, a saúde humana ganha bastante destaque.


Em resumo, se uma edificação é capaz de promover o encontro do alimento mais saudável com o ser humano, o chips de batata doce passa a ter haver não somente com a nutrição, mas também com a arquitetura e com o meio ambiente.


Para saber mais:

http://www.gbcbrasil.org.br

https://vanzolini.org.br/aqua/

http://www.pbeedifica.com.br/

https://living-future.org/

https://www.wellcertified.com/

https://v2.wellcertified.com/v/en/nourishment/

https://www.breeam.com/


Entre em contato:

(085) 99902-6353

©2018 BY JOANA REZENDE ARQUITETURA E ARTE. PROUDLY CREATED WITH WIX.COM